Jornadas pela Reinvenção no primeiro dia da 10ª Bienal

Debates, caravanas e muita arte no Centro Dragão do Mar


A 10ª Bienal da UNE começou oficialmente nesse domingo (29). Nesse primeiro dia: muita integração entre os estudantes por meio da arte e pelo propósito da Reinvenção, tema que rege o Festival.
 
 
O Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura foi ocupado por estudantes de todo o Brasil e o dia foi maracado por caravanas chegando, sem espaço para o cansaço. 
 
O Encontro I, realizado pela manhã, tratou de debater a movimento Pessoal do Ceará. O cantor Rodger Rogério, convidado da mesa, e um dos artistas  precursores do movimento, trouxe histórias sobre a época.
 
Pela tarde, dois encontros simultâneos expandiram e apontaram caminhos para áreas em que é necessário reformas.
Como primeiro grande encontro do movimento estudantil e dos movimentos sociais brasileiros após o golpe de 2016 e a agenda de retrocessos do governo ilegítimo de Michel Temer, o Encontro sobre a Reivenção da Política e Economia teve a presença de dois mil estudantes na Praça Verde Historiador Raimundo Girão.
 
Já no debate sobre a Cultura,o ex-ministro da cultura Juca Ferreira, o músico Tico Santa Cruz e a atriz Ana Petta compuseram a mesa que propôs saídas para o cenário de perda de direitos no país.
 
Ferreira apontou o caminho para a democracia: "Cabe ao povo construir a nossa democracia porque as elites estão se lixando. Precisamos construir uma base popular ampla onde um reconheça o direito do outro. Generosidade deve ser nosso principal instrumento de luta para realizarmos mudanças", disse.
 
Em outra sala, a atuação do ex-ministro, quanto à democratização da comunicação, era elogiada por Eryk Rocha que participou da exibição do seu último filme, lançado ano passado. Confira entrevista do cineasta, que enfatizou que a reinvenção virá pela comunicação.
 
O fim do primeiro dia teve uma vernissage com os trabalhos selecionados de artes visuais, com obras e performances  que contestam e incitam a reflexão sobre a conjuntura política.
 
No Palco Principal: o projeto Elas cantam Belchior, iniciaram a apresentação com a música com "Sujeito de Sorte". O trecho:  "Ano passado eu morri mas esse ano eu não morro", foi cantando em coro emociado pelos presentes, lembrando da resistência necessária nessa " era pós golpe", em que essa 10ª Bienal da UNE é realizada.
 
A banda cearense de rock indie "Selvagens à Procura da Lei" fechou a primeira noite..
 
 FESTIVAL DA JUVENTUDE VAI À RUSSIA
 
 A Bienal da UNE serviu para o lançamento do Festival Mundial de Juventude, que será realizado na cidade de Sochi, na Rússia em uma atividade na tarde deste domingo (29), na Praça Verde, no Dragão do Mar. 

O festival foi criado em 1947 e já foi realizado em diversos países. O objetivo é promover a conexão das culturas e das lutas dos jovens de diferentes realidades.